Chega mais! #2 Minha história

Olá pessoas!!!

Hoje acontece mais uma história da coluna Chega Mais, exclusiva de sexta-feira! Leia mais sobre aqui !

Ao invés de contarmos e ajudarmos alguém a resolver suas dúvidas, recebemos uma história de vida e queríamos compartilhar com vocês! Pois é muito bom ouvir sobre a vida das pessoas não é mesmo? 🙂

Essa é a história do Caio! Algumas partes foram cortadas para manter a privacidade dele.

tumblr_ltw6y2xy0D1qi4z4w

“Morei seis anos em uma cidade do interior. Foi lá que eu cresci, me tornei criativo, aprendi a respeitar e amar a natureza. Meu melhor amigo fora o meu cachorro, até meu primo Lucas nascer.  Foi naquele lugar que eu aprendi a ser humilde, a andar a cavalo, a respirar – aprendi o que realmente é vida. As pessoas mais afortunadas eram as que eu mais temia, arrogantes, pensavam somente em dinheiro, colocavam concreto em tudo que botavam olhos…  O poder realmente estraga muitas pessoas.

Aqueles seis anos se passaram e após a morte dos meus avós paternos, meus pais decidiram se mudar para a cidade. Na quinta série eu estava já na cidade, nunca parei mais de dois anos em uma escola, sempre fazendo novos amigos, conhecendo novas pessoas…. Muito tímido, muitas vezes preferia ficar sozinho. Gostava de criar personagens, desenhá-los, gostava de objetos pequenos e com formas esquisitas. Minha mãe me chamava de “bagulheiro”. Fiz novas amizades. Tinha uma em especial que era o meu tio – estranho falar assim, mas ele era mais novo do que eu, exatos um ano e três meses. Todo dia corria para minha casa para assistir os desenhos bons que ainda passavam na TV. Depois de dois anos, meus pais compraram uma casa na mesma cidade e nos mudamos para outro bairro, tendo novamente que mudar de escola. Nesta, por sua vez, encontrei os meus melhores amigos, conversamos até hoje.

Terminei o Ensino Médio nesta escola. Foram anos cansativos.. Resolvi entrar para a Faculdade de Sistemas de informação, estava muito decidido, pois bem, eu estava há quatro anos estudando informática, era quase unânime a decisão. Foi um ano e meio fazendo esta faculdade e trabalhando na área, mas já não estava feliz, pois eu gostava muito da área artística: desenhar, dançar, cantar, escrever… Frequentava a psicóloga, pois sofro de ansiedade – e quem não sofre hoje em dia, não é? – mas, de certa forma, estava me abalando muito, momentos de quase desmaios aconteceram, algo precisaria ser consertado. Bom, foi neste momento que eu decidi começar a escrever sobre mim, então criei meu blog e também mudei de curso. Estou fazendo agora Design Gráfico e pretendo sair do trabalho já que não estou cursando o que é interesse da empresa.

Não citei, mas quando terminei meu ensino médio, na minha formatura, conheci uma menina que abalou quem eu sou, estava vestida com um vestido preto (minha cor preferida) e seus cabelos ondulados e loiros dançavam lentamente enquanto eu a olhava – tenho uma preferência por meninas loiras -, seus olhos eram azuis e profundos, me olhava com um certo interesse, foi então naquela rodinha de amigos no meio da dança que eu fui em sua direção. Não me lembro do que eu falei, só sei que a puxei para o centro do salão, nos abraçamos, começamos a dançar, era uma música lenta, nossos passos eram suaves, falamos de interesses intelectuais, do que pretendíamos para um futuro, mal sabíamos que juntos. Naquele dia a beijei, e começamos a sair quase todos os dias daquele verão e, no último dia comprei um colar com um coração de um vermelho suave. Guardei-o em meu bolso, estava me arrumando para uma festinha na casa de sua prima que era namorada do meu tio, sim aquele lá, parceirão… Foi a prima dela que a levou para a festa de formatura. Depois da meia noite, estávamos novamente dançando juntinhos, tirei o colar do meu bolso, me direcionei a ela e a pedi em namoro. Não poderia deixar que aquilo fosse somente um namoro de verão, e então ela disse: Você é louco! – Deu um sorriso de aceitação, enchendo os peitos de ar, parecia não acreditar. Então nos beijamos e aproveitamos o restante da noite.

Já fazendo quase dois anos dos muitos que virão, nossa filha se chamará Aurora, fiz um poema para ela, escrevo quase todos os dias – sobre como é viver, escrevo sobre os sofrimentos tentando expulsá-los e dando lugar a sensibilidade, porque se isto não é viver, eu não sei o que é…”

Que história legal hein Caio? Você escreve muito bem. Adoramos conhecê-lo  e que tudo de sempre certo pra você!

E você aí que está lendo, VOCÊ mesmo…. estamos esperando ansiosamente a sua história! Conte conosco para te ajudarmos a esclarecer suas dúvidas enviando um e-mail para santaseloucascontato@gmail.com!

Anúncios

10 comentários sobre “Chega mais! #2 Minha história

  1. História comovente e bem escrita. Tem o poder da palavra, esse menino. Aliás, conheço pessoas chegadas a mim, que trocaram os remédios pela espiritualidade, para desafogar esse desassossego mencionado pelo autor. “Frequentava a psicóloga, pois sofro de ansiedade – e quem não sofre hoje em dia, não é? “

    Curtido por 2 pessoas

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s